No Japão, Kishida dissolve Câmara Baixa, abrindo caminho para eleições do dia 31

3 months ago 22

Japo

- Publicada em 14/10/2021 s 17h40min.

Kishida prometeu perseguir pol

Kishida prometeu perseguir polticas de 'confiana e empatia'


Eugene HOSHIKO/Pool/AFP/JC

O novo primeiro-ministro do Japão, Fumio Kishida, dissolveu a Câmara Baixa do Parlamento japonês nesta quinta-feira (14), abrindo espaço para as eleições nacionais de 31 de outubro. Kishida disse estar buscando um mandato do eleitorado para suas políticas, após ter sido eleito premiê pelo Parlamento há dez dias. Ele sucedeu Yoshihide Suga.

Quer continuar lendo este e outros contedos srios e de credibilidade?
Assine o JC Digital com desconto!

Desktop/tablet/smartphone

  • Personalize sua capa com os assuntos de seu interesse
  • Acesso ilimitado aos contedos do site
  • Acesso ao Aplicativo e verso para folhear on-line
  • Contedos exclusivos e especializados em economia e negcios
  • Cancelamento on-line e a qualquer momento

Assine J nosso assinante? faa login

O novo primeiro-ministro do Japão, Fumio Kishida, dissolveu a Câmara Baixa do Parlamento japonês nesta quinta-feira (14), abrindo espaço para as eleições nacionais de 31 de outubro. Kishida disse estar buscando um mandato do eleitorado para suas políticas, após ter sido eleito premiê pelo Parlamento há dez dias. Ele sucedeu Yoshihide Suga.

Tadamori Oshima, porta-voz da Câmara Baixa (que no Japão é a de maior poder), anunciou a dissolução em uma sessão do plenário. Com o anúncio, todos os 465 parlamentares deixaram a Casa. Eles perderam seus assentos, e a campanha oficial para a eleição começa na próxima terça-feira (19).

A última eleição para a Câmara japonesa foi realizada em 2017, sob o governo do então primeiro-ministro Shinzo Abe. Seu sucessor, Suga, permaneceu no cargo por apenas um ano, e o apoio a seu governo foi afetado pela percepção de uma gestão descuidada da pandemia do coronavírus, bem como pela insistência em realizar os Jogos Olímpicos de Tóquio apesar da alta no contágio pela Covid-19.

Kishida, encarregado de angariar apoio eleitoral para o Partido Liberal Democrata, que domina o cenário japonês há décadas, prometeu perseguir políticas de "confiança e empatia". Em seu primeiro discurso no cargo, na última sexta-feira, ele disse que quer fortalecer a resposta do Japão à pandemia do coronavírus caso outra onda de casos ocorra, e reviver a combalida economia doméstica ao mesmo tempo em que aumenta as defesas do país contra ameaças da China e da Coreia do Norte. 

Read Entire Article